Adeus Barriga

EU FUI GORDO 24 ANOS. QUER CONTINUAR SENDO?

CARDÁPIO PARA UMA GRAVIDEZ TRANQUILA

Mudar a alimentação durante a gravidez é inevitável: além de enjoar uma série de alimentos, você sente muito mais fome. Mas nada de usar o bebê que está chegando como desculpa para perder os limites. “Sem dúvida é um momento especial na vida da mulher e exige uma alimentação equilibrada. Entretanto, isso não significa comer por dois”, diz a nutricionista do Hospital e Maternidade Pro Matre, Magda Britto dos Santos. Na pirâmide alimentar, você encontra a fórmula para atravessar a gestação sem engordar demais nem ouvir o estômago roncar a cada 15 minutos. “Basta consultar o gráfico e fazer alguns ajustes, de acordo com a fase”, afirma Magda.Composta por proteínas, carboidratos, vitaminas e sais minerais, a pirâmide atende todas as necessidades do organismo. Segundo a nutricionista, o controle do peso durante os nove meses é feito a partir dos quilos que a mulher apresentava antes de engravidar.

Isso também influencia na quantidade das porções que a gestante deve ingerir. Magda explica que uma mulher normal (sem sobrepeso) consome, em média, 2.000 calorias diárias. Já as grávidas devem ingerir por volta das 2.300 calorias. Isso garante que, ao longo da gravidez, a mãe engorde de 9 a, no máximo, 14 quilos. Para montar um prato cheio de benefícios ao bebê e favorável à saúde da gestante, a nutricionista da Pro Matre fez uma lista com os nutrientes que não podem faltar na alimentação das mamães.Proteínas
A proteína desempenha papel importante na formação da placenta. Por isso, a recomendação é aumentar sua ingestão durante a gravidez. “Para explicar a importância das proteínas para minhas pacientes, comparo-as com os tijolos de uma casa. Elas são responsáveis por construir os tecidos do organismo, tanto do bebê quanto da mãe”, diz Magda. Carne, leite, ovos e queijos são alguns exemplos de alimentos ricos em proteínas. “As principais fontes de proteína são alimentos de origem animal”, exemplifica a nutricionista. Carboidratos
Fonte de energia para realizar qualquer atividade, os carboidratos devem marcar presença no cardápio das gestantes. Em falta, o organismo acaba usando outros alimentos para retirar a energia de que precisa, prejudicando outras áreas. Magda alerta que “ao obter energia através das proteínas, por exemplo, a mulher acaba perdendo o que chamamos de massa magra do corpo, os músculos”. É por este motivo que, das seis refeições que a grávida precisa fazer ao longo do dia, pelo menos quatro devem vir acompanhadas de algum tipo de carboidrato. Eles são encontrados no arroz, macarrão, pão, cereal, na batata e nas frutas. Vitaminas e sais minerais
Formando o time dos micronutrientes, as vitaminas e sais minerais são encontrados nas verduras, frutas e legumes. Dentre toda a variedade, a nutricionista destaca as principais e explica como agem no organismo. Vitamina A
Vitamina importante na formação e manutenção da placenta. Também ajuda a manter a imunidade da mãe, garantindo o bom desenvolvimento do feto. É encontrada, entre outros alimentos, no fígado de boi, na cenoura, na manga, na abóbora, no espinafre e no agrião. “Com todas essas possibilidades, eu aconselho que a gestante aproveite todos os alimentos e varie o cardápio. Isso é sinônimo de alimentação equilibrada”, afirma Magda.Vitamina C
Também conhecida como ácido ascórbico, a vitamina C é bastante indicada para evitar o envelhecimento, já que ajuda na produção de colágeno (substância que dá firmeza à pele). Encontrada em frutas como acerola, laranja, limão, morango e goiaba, e também nas folhas verdes e batata. Além de seus próprios benefícios, a vitamina ajuda o organismo a absorver o ferro de origem vegetal. Magda dá a dica: “Um copo de fruta cítrica acompanhando as principais refeições do dia, ajuda a absorver os nutrientes de cada alimento”. Ácido fólico
Por ajudar na formação do tubo neural do feto (auxílio na construção do sistema nervoso do bebê), o ácido fólico é bastante recomendado às mulheres que programam a gravidez ou que estão no início da gestação. Ele também participa da divisão celular na hora de formar o embrião e da formação dos anticorpos do bebê. Por isso, além da alimentação, alguns médicos indicam a vitamina como instrumento medicamentoso. Para desfrutar dos benefícios do acido fólico, a grávida deve ingerir fígado de boi, espinafre, feijão e suco de laranja. Suplementação, só com orientação de um especialista. Ferro
Além de dar uma mãozinha no crescimento do feto, o ferro evita que o nenê nasça antes da hora e aumenta a imunidade. O mineral está presente na hemoglobina, proteína responsável pelo transporte de oxigênio pelo sangue, e não pode estar em falta no organismo da gestante. O ferro é achado em verduras verdes, grãos como lentilha e feijão, carnes vermelhas (especialmente no fígado de boi) e na banana prata. Cálcio
Micronutriente importantíssimo no terceiro trimestre de gravidez, “na maioria das vezes, os médicos prescrevem o cálcio como complemento da alimentação”, diz a nutricionista. Ela explica que nem todas as necessidades são supridas pelos alimentos e, em certas ocasiões, os suplementos entram em ação. O cálcio é fundamental na formação dos ossos (agindo até mesmo na arcada dentária do nenê que, apesar de não ser aparente, já se forma dentro da gengiva), ajuda a evitar contrações do útero antes da hora e evita que a mãe sofra de pressão alta na fase da amamentação. Suas fontes são leite, iogurte, queijo, salmão, sardinha, figo seco, couve e espinafre. “Eu sempre aconselho que as pessoas evitem qualquer tipo de cafeína depois de ter ingerido algum alimento rico em cálcio, pois ela reduz a absorção do nutriente pelo organismo”, aconselha Magda. Fique atenta aos excessos
O fígado de boi é um alimento rico em diversos nutrientes. Porém, não deve ser ingerido mais que duas vezes por semana, já que pode se tornar prejudicial à saúde da grávida. Devido à sua diversidade em vitaminas e sais minerais, ele precisa ser dosado. A vitamina A, por exemplo, se ingerida demasiadamente, pode provocar malformação do feto. “Por isso, sempre recomendo um acompanhamento alimentar personalizado”, afirma a nutricionista do Hospital e Maternidade Pro Matre

 

16/02/2011 Posted by | Alimentação, Informação | , , | Deixe um comentário

Os ESQUECIDOS – IMPORTANTES

Onze superalimentos que você deveria consumir mais…

Eles não agradam tanto quanto o morango, nem deixam inimigos por aí, como o jiló. Por isso, na hora da montagem do prato ou da compra do mês, ficam esquecidos entre as prateleiras de frutas e legumes do supermercado. Rabanete? Nabo? Inhame? Os próprios nutricionistas, muitas vezes, esquecem que eles existem. Mas fique sabendo que alguns alimentos que ficam de fora do seu cardápio trivial, trazem muitos benefícios para a saúde e ajudam a compor uma dieta equilibrada. Quem perde com a ausência dessa turma e de seusnutrientes é a nossa saúde. Para tirá-los do esquecimento e para te ajudar a montar uma dieta rica em nutrientes e cores, o Minha Vida foi à feira selecionar 11 superalimentos que fazem muito bem para o seu organismo e para a dieta. Confira:

Lentilha- Foto Getty Image

Lentilhas: a lentilha é muito requisitada nas festas do final de ano. Mas, depois, passa o resto do ano esquecida. Uma injustiça, já que é um alimento ideal para a dieta a para a saúde, pois é rica em proteína vegetal, que ajuda na formação e no fortalecimento da massa muscular e na cicatrização de ferimentos. “A lentilha tem também alto teor de fibras, vitaminas e ferro e pouca gordura, sendo ótima substituta para o feijão do dia a dia, por exemplo”, a nutricionista Roberta de Lucena Ferreti, da Unifesp.

 

 

 

 

 

 

Batata doce: Muitas vezes elas são vistas com olhares tortos e cara feia. Alguns acham estranho o fato de ser doce e outros, ainda, acham que ela tem grande quantidade de calorias e por isso precisam ficar longe do prato. Mas, mesmo sendo cerca de duas vezes mais calórica do que a batata normal e que tenha também mais carboidratos, a batata doce é uma ótima fonte de vitamina C, fibras e potássio, diferente da batata convencional. Além de muito versátil – pode ser usada em pratos doces e salgados -, ela é amiga do verão, pois é fonte de betacaroteno, o componente que potencializa o bronzeado.

Batata doce- Foto Getty Image

Inhame: ele é uma importante fonte de proteínas, potássio e fósforo, podendo ser usado para prevenir doenças como osteoporose, artrite e cálculos renais. Fonte de carboidratos e fibras, pode ser uma opção para pães, massas, cereais e todos os tipos de tubérculos e raízes. Além disso, o consumo desses minerais ajuda a manter a memória funcionando mesmo depois da velhice. O melhor jeito de consumi-lo é cozido. Mas é importante que ele não fique muito tempo no fogo, para que não haja uma perda de nutrientes e vitaminas.

Rabanete: rosa por fora e branquinho por dentro, o rabanete é um legume benéfico graças às suas propriedades medicinais. Ele estimula as funções digestivas, limpa as vias respiratórias e ainda dá uma força ao sistema imunológico. De acordo com a nutricionista Roberta de Lucena, isso acontece graças à grande quantidade de vitaminas e minerais, como cálcio, potássio, magnésio e fósforo.

Acelga: também conhecida como couve-chinesa, essa hortaliça é extremamente versátil, pois dela aproveita-se tanto talos quanto as folhas. Além disso, ela fica ótima crua e também refogada com azeite e alho. “Além de proteger o fígado, a acelga auxilia no controle do diabetes, pois apresenta fibras e possui substâncias que causam regeneração das células do pâncreas, que é o local onde há a produção de insulina”, explica a nutricionista Bárbara Rescalli Sanches, da Clínica Damasceno.

Além disso, a acelga também é fonte de vitamina A e C. Quem tem tendência a desenvolver cálculos renais, precisa maneirar na quantidade consumida desse alimento. “Há grande quantidade de oxalato na acelga, substância que pode se ligar ao cálcio e formar pedra no rim”, explica nutricionista.

Beterraba-  Foto Getty Image

Beterraba: ela também está entre os rejeitados. Mas o que poucos sabem é que ela é uma grande aliada no combate ao cansaço. Pesquisadores da Universidade de Exeter (Grã-Bretanha) descobriram que o nitrato encontrado nela ajuda a reduzir o consumo de oxigênio e, portanto, desacelera o ritmo do processo que leva ao cansaço. Por isso, eles recomendam um copo de suco de beterraba antes de praticar atividades.

Nabo: Este vegetal carrega doses de vitamina C, cálcio e potássio. “Estudos mostram que possui uma substância que pode prevenir certos tipos de câncer”, explica a nutricionista Daniela Cyrulin. As folhas do nabo constituem um excelente alimento com alto teor de vitamina A, vitaminas do complexo B e de vitamina C. Além disso, suas fibras contribuem para regularizar o funcionamento intestinal, o que ajuda a digestão.

Chicória: ela é rica em oligossacarídeos, substâncias que não são totalmente digeridas pelo organismo e servem de alimento para as bactérias benéficas intestinais, são os chamados prebióticos. “Esta substância auxilia no bom funcionamento intestinal, tratando casos de intestino preso, diminui os níveis de toxina no intestino, auxiliando na prevenção de cânceres”, explica Bárbara Rescalli Sanches.

Também melhora a absorção de minerais e controla os níveis de triglicérides no sangue. Outra vantagem é a sua capacidade de desintoxicação, ou seja, auxilia na eliminação de toxinas no organismo. Além disso, constitui uma importante fonte de vitaminas A, B, C e D e de sais minerais. É de baixo valor calórico, sendo excelente para utilizar nas dietas de emagrecimentos. O melhor modo para ela ser consumida é crua, para melhor aproveitar o seu valor nutritivo.

Pitanga- Foto Getty Image

Nêspera: popularmente chamada de ameixa-amarela, esta fruta é rica em vitamina C e sais minerais, como o cálcio e o fósforo. Outra propriedade da nêspera é controlar os níveis de gordura no sangue e diminuir a resistência à insulina, atuando assim na prevenção contra diabetes. “Estudos ainda indicam que a nêspera apresenta triterpenos, substâncias que modulam a formação de óxido nítrico, que age nas vias respiratórias e tem efeito que pode ser benéfico no controle de bronquite, além de auxiliar no tratamento de doenças alérgicas inflamatórias como asma, rinite e sinusite”, explica Bárbara.

Pitanga: essa pequena fruta vermelha se destaca pela quantidade de cálcio que carrega, fósforo e ferro, além de vitaminas A e C, indicando seu elevado poder antioxidante o que faz dela uma poderosa aliada para os ossos, ajudando a prevenir doenças como osteoporose. Segundo Bárbara Rescalli, ela também é rica em licopeno, importante na prevenção de uma série de cânceres, como o câncer de próstata, pulmão e estômago. Para consumir essa fruta, é preciso tomar cuidado com os fungos, que se reproduzem na casca da fruta. Observe se a casca não com uma textura áspera ou com uma cor diferente.

Cará: esse tubérculo é o primo menos famoso da batata. Por ter o gosto muito parecido com o de um alimento tão popular, o cará foi deixado de lado, e poucas pessoas o colocam no prato. De acordo com Bárbara Rescalli, o cará é uma fonte de carboidratos que pode ser utilizado para a recuperação muscular após uma atividade física. Também traz benefícios para o sistema imunológico e inibe a ação maléfica de radicais livres.

 

 

01/12/2010 Posted by | Alimentação, Informação | , , | Deixe um comentário

Connfira as razões para fazer sexo

Está no Blog de uma Amiga, eu não podia deixar de compartilhar, Ela é uma pessoas muito especial.

29/11/2010 Posted by | Exercícios, Informação | , , | Deixe um comentário