Adeus Barriga

EU FUI GORDO 24 ANOS. QUER CONTINUAR SENDO?

UM CARDÁPIO

Cardápio

Verduras, legumes, frutas e outros alimentos ricos em água e fibras são destaque no cardápio, com cerca de 1200 calorias diárias. Mas não faltam carnes magras, pães e massas integrais, além de leite e iogurte desnatados. Você tem até direito a um docinho!

CAFÉ DA MANHÃ

Opção 1
• 1 fatia de mamão
• 1 pote de iogurte desnatado (ou light) com 1 col. (sobremesa) de semente de linhaça triturada e 1 col. (chá) de aveia

Opção 2
• 1 fatia de melão
• 1 xíc. (chá) de leite desnatado com café (sem açúcar ou com adoçante)
• 2 fatias de pão integral com 2 col. (chá) de requeijão light

Opção 3
• 1 banana-prata amassada com 1 col. (sopa) de aveia em flocos e 1 col. (sobremesa) de semente de linhaça triturada
• 1 xíc. (chá) de chá verde
• 1 fatia de pão integral light com 1 col. (sopa) de patê de ricota (ricota amassada com 1 fio de azeite e ervas)

Opção 4
• 1 copo (200 ml)  de suco de maracujá com adoçante
• 2 fatias de pão integral light com 2 fatias de queijo branco e 1 fatia de peito de peru

Opção 5
• 1 ameixa fresca (ou 2 ameixas secas)
• 1 xíc. (chá) de leitedesnatado com café (sem açúcar ou com adoçante)
• 1 fatia fina de bolo simples

LANCHE DA MANHÃ

Opção 1
• 1 xíc. (chá) de leite desnatado com café (sem açúcar ou com adoçante)

Opção 2
• 1 fatia de pão integral light com 1 fatia média de queijo branco com orégano
• 1 xíc. (chá) de chá verde

Opção 3
• 1 pote de iogurte desnatado (ou de fruta light)

Opção 4
• 1/2 pap aia com 1 col. (sobremesa) de semente de linhaça triturada

Opção 5
• 2 castanhas-do-pará
• 1 queijo fundido light (tipo Polenguinho Fibras)

ALMOÇO

Opção 1
• Salada de alface crespa, tomate caqui e manjericão fresco à vontade
• 3 col. (sopa) de abóbora cozida
• 3 col. (sopa) de arroz integral
• 2 col. (sopa) de lentilha
• 1 filé (100 g) de carne magra (contrafilé, alcatra, patinho) grelhado
• 1 picolé de fruta

Opção 2
• Salada de rúcula, beterraba ralada e palmito à vontade
• 3 col. (sopa) de abobrinha italiana refogada com alecrim
• 3 col. (sopa) de arroz integral
• 2 col. (sopa) de feijão
• 1 filé (100 g) de frango grelhado
• 1 bombom (tipo Alpino)

Opção 3
• Salada de rúcula, tomate (à vontade) e 2 col. (sopa) de grão-de-bico
• 1 prato (raso) de  macarrão integral ao sugo e cubos de queijo branco
• 3 col. (sopa) de espinafre refogado
• 1 banana assada com canela

Opção 4
• Salada de alface crespa, alface roxa, rúcula e abacaxi à vontade
•3 col. (sopa) de berinjela refogada com tomate
• 3 col. (sopa) de arroz 7 grãos (ou integral)
• 1 filé (120 g) de peixe (abadejo ou linguado) ensopado
• 1 taça de gelatina diet com fruta picada

Opção 5
• Salada de alfaceamericana, agrião,  cebola roxa e cenoura ralada à vontade
• 3 col. (sopa) de chuchu refogado com tomate
• 3 col. (sopa) de arroz integral
• 2 col. (sopa) de feijão
• Omelete (feito com 1 ovo, tomate, cebola e ervas)
• 1 pedaço (30 g) de chocolate meio amargo

LANCHE DA TARDE

Opção 1
• 1 cacho médio de uva (ou 1 pera)
• 2 torradas com 2 fatias finas de queijo branco e orégano

Opção 2
• 3 damascos
• 2 castanhas-do-pará

Opção 3
• 1 fatia média de melancia

Opção 4
• 1 pote de iogurte desnatado (ou de fruta light)

Opção 5
• 1 xic. (chá) de chá verde
• 2 torradas com 2 col. (chá) de requeijão light

JANTAR

Opção 1
• Salada de alface crespa, cenoura ralada e tomate à vontade
• 2 col. (sopa) de arroz integral
• 1 pedaço (100 g) de frango ensopado com tomate

Opção 2
• Salada de alface, tomate-cereja e cebola à vontade
• 1 porção (100 g) de quibe assado

Opção 3
• Salada de rúcula, palmito e tomate à vontade
• 1 porção (120 g) de lasanha de abobrinha com mussarela (ou abobrinha ao forno com molho à bolonhesa)

Opção 4
• Salada de couve manteiga, tomate e cebola roxa à vontade
• 1 prato (fundo)de sopa de legumes
• 1 fatia de pão integral light

Opção 5
• 2 fatias de pão integral light com atum light, rúcula e tomate

Bebidas: entre as refeições, beba de 2 a 3 litros de líquido – prefira água!!! ÀGUA!!!! ÁGUA ou chá sem açúcar. Água de coco e café são bem-vindos, mas em doses moderadas.

29/05/2011 Posted by | Alimentação, Control de peso | , | Deixe um comentário

Vinagre Emagrece? CUIDADO

Tenho minhas restrições contra estas coisas: 1º quanto tempo o seu estômago aguenta a ingestão do azedinho:2º quando parar? 3º quando chaga no resultado desejado, pode parar? Não vai retornar, e aí temos o efeito sanfona…Pois é Não há milagres nem disque me disque….A EQUAÇÃO É UMA SÓ e eu vivo repetindo: INGERE MAIS CALORIA QUE QUEIMA ENGORDA, Inverte a equação EMAGRECE. Eu reduzi com muita saúde energia e disposição 30 kgrs há 8,5 Anos… mantenho até hj sem sacrifício, será que sei como fazer???

A descoberta foi casual. Em uma manhã de novembro, a americana Carol Johnston, PhD em nutrição, professora e pes- quisadora da Universidade do Estado do Arizona, avaliava os resultados de um estudo sobre o efeito do vinagre na redução dos níveis do LDL, o colesterol ruim. “Para minha surpresa, constatei que esse condimento tem poder emagrecedor”, contou em entrevista a BOA FORMA. Ela dividiu 30 voluntários em dois grupos: um deles ingeriu duas colheres de sopa de vinagre, antes do almoço e do jantar, enquanto o outro fez o mesmo com o suco de cranberry, uma frutinha nativa dos Estados Unidos parecida com a cereja. Ao final de 30 dias, nem o vinagre nem o cranberry tiveram qualquer ação sobre o LDL. Em compensação, a turma do vinagre emagreceu, em média, 2 quilos e houve até quem perdesse 5 quilos em um mês. A pesquisa foi feita em 2004 e, desde então, outros trabalhos vêm comprovando que o condimento, de fato, é um bom espanta-gorduras. Um deles foi feito na província japonesa de Aichin com 175 mulheres e homens obesos. Durante 12 semanas, esses voluntários ingeriram duas colheres de sopa de vinagre diluído em água por dia, antes das principais refeições. O resultado? Houve uma melhora significativa em todos os indicadores relacionados à gordura: nível de triglicerídeos (um tipo nocivo de gordura), índice de massa corporal, gordura visceral e circunferência da cintura. Sim, a barriga de todos eles murchou. Mas, além do benefício estético, os participantes da pesquisa deixaram de fazer parte do grupo de risco da síndrome metabólica, associada a infarto e diabetes. E sem a necessidade de grandes renúncias alimentares.

Metabolismo a mil

A nutróloga Tamara Mazaracki, do Rio de Janeiro, é fã declarada do vinagre como aliado da perda de peso. “Ele tem pouquíssimas calorias, ajuda a estabilizar o açúcar no sangue e diminui o apetite”, justifica. A pioneira Carol Johnston também traz na ponta da língua a explicação para a ação emagrecedora do líquido azedinho. “O ácido acético, seu principal componente, influi na termogênese, a energia onsumida na digestão para o transporte e utilização dos nutrientes, acelerando o metabolismo.”

O tempero também é capaz de baixar em até 25% a glicose no sangue mesmo após uma refeição à base de pão e macarrão. Esses e outros alimentos ricos em carboidrato têm índice glicêmico (IG) altíssimo. Significa que são absorvidos rapidamente fazendo o açúcar disparar. E está tudo relacionado: quanto maior o IG, maior a glicemia, maior o pico de insulina e maior a fome – os inimigos da silhueta ninha. Como se fosse pouco, o ácido acético ainda inibe a atividade dos carboidratos e suas enzimas digestivas. “O açúcar e outros carboidratos passam pelo trato digestivo da mesma forma que as fibras, ou seja, sem ser assimilados”, explica Tamara. Resultado: sempre que você temperar a salada com o condimento, a massa do prato principal vai engordar menos.

Tantas boas notícias nem de longe significam sinal verde para consumir baldes de vinagre. Os estudos sugerem como seguro ingerir entre duas e quatro colheres de sopa por dia. Mais do que isso pode irritar o aparelho gastrointestinal. Se você tem o estômago sensível, procure ser ainda mais cuidadosa: use o vinagre como coadjuvante na dieta apenas se o seu médico permitir.

Um tipo para cada prato

O vinagre é feito a partir de frutas ou cereais. O processo de fermentação transforma o açúcar contido nesses alimentos em álcool e, depois, em ácido acético – a substância com poder emagrecedor. Você

pode usar esse condimento em qualquer tipo de salada ou acrescentar uma colher de sopa no preparo do arroz. O chef Guga Caiuby, do restaurante Natural Gourmet, em Alphaville (SP), dá outras sugestões de uso para diferentes tipos de vinagre.

Vinagre balsâmico: extraído da casca da uva, pode ser usado na nalização de carnes vermelhas grelhadas ou ensopadas e sobremesas (light, de preferência).

Vinagre de arroz: é comum na culinária oriental, no preparo do gohan (arroz do sushi), molhos agridoces, sopas e cozidos de carnes e legumes.

Vinagre de vinho tinto: ideal para preparar carnes vermelhas assadas e verduras cozidas (escarola e espinafre).

Vinagre de vinho branco e de framboesa: perfeitos para marinar peixe como badejo e lé de pescada.

Vinagre de maçã: vai bem com sopas frias como gaspacho (sopa espanhola à base de tomate e pepino).

Fonte: Entrevista minha para a Boa Forma 


De sigam o link e votem OBRIGDO

23/05/2011 Posted by | Alimentação, Saúde | | Deixe um comentário

Os perigos escondidos do Aspartame

Tradução para o português, pelo google tradutor.

Se um produto é aprovado pela Food and Drug Administration (FDA) e composto por ingredientes naturais, que você assume que é seguro consumir?

Se o mesmo produto é um edulcorante artificial , você assumir que ajuda a controlar seu peso?

Milhões de pessoas usam o aspartame, o adoçante conhecido como Nutrasweet ™, com estas premissas em mente.

O aspartame pode ser encontrado em milhares de produtos, tais como:

  • breakfast instantânea
  • hortelã da respiração
  • cereais
  • sem açúcar, gomas de mascar
  • mistura de cacau
  • bebidas de café
  • sobremesas congeladas
  • gelatinas
  • sucos
  • laxantes
  • multivitaminas
  • bebidas lácteas
  • medicamentos e suplementos, incluindo medicamentos sem receita
  • misturas da agitação
  • refrigerantes
  • adoçantes de mesa
  • bebidas de chá
  • chás e cafés instantânea
  • topping misturas
  • refrigeradores do vinho
  • iogurte

Entretanto, a história manchada aspartame de aprovação e, potencialmente, ingredientes tóxicos lançam sérias dúvidas sobre a segurança deste substituto do açúcar. Além disso, o aspartame pode realmente aumentar o apetite (Farber 52).

Embora a aprovação do FDA pode sinalizar a luz verde para o consumo seguro, 85 por cento de todas as queixas registradas junto à FDA são para reações adversas ao aspartame, incluindo cinco mortes. Um olhar sobre os estudos não-científico, os métodos de aprovação suspeito, e seus ingredientes prejudiciais, revelam os perigos ocultos deste edulcorante artificial. Na realidade, o aspartame é uma ameaça a saúde pública.

Doenças resultantes do aspartame

Os componentes do aspartame pode levar a uma ampla variedade de doenças. Alguns desses problemas ocorrem gradualmente, enquanto outros são imediatas, reações agudas.

Alguns dos muitos distúrbios associados com aspartame incluem o seguinte:

  • Defeitos Congênitos

Um estudo financiado pela Monsanto para estudar possíveis defeitos congénitos causados ​​pelo consumo do ASPARTAME foi cortado depois que os dados preliminares mostram informações prejudiciais sobre o aspartame. Além disso, no livro, enquanto esperava: Um Manual pré-natal, afirma-se que o aspartame é suspeito de causar danos cerebrais em pessoas sensíveis. Um feto pode estar em risco para estes efeitos. Alguns pesquisadores sugeriram que altas doses de aspartame pode ser associado com problemas que vão desde mudanças no cérebro tonturas e sutil de retardo mental.

  • Cancro (câncer no cérebro)

Em 1981, um estatístico FDA declarou que os dados do tumor cerebral sobre o aspartame era tão “preocupante” que ele não poderia recomendar a aprovação do aspartame (14).

Em um estudo de dois anos realizado pelo fabricante do aspartame, doze dos 320 ratos alimentados com uma dieta normal e aspartame desenvolveram tumores cerebrais, enquanto nenhum do grupo controle desenvolveram tumores, e cinco dos doze tumores em ratos que receberam uma dose baixa de aspartame (15).

A aprovação do aspartame foi uma violação da Emenda Delaney, que era suposto para evitar substâncias causadoras de câncer, tais como (formaldehye) metanol e DKP de entrar em nossa cadeia alimentar. A toxicologista do FDA tarde testemunhou perante o Congresso dos EUA de que o aspartame era capaz de produzir tumores cerebrais. Isso tornou ilegal para o FDA para definir uma ingestão diária admissível em qualquer nível. Ele declarou em seu depoimento que os estudos de Searle foi “em grande medida confiável” e que “pelo menos um desses estudos demonstrou para além de qualquer dúvida razoável que o aspartame é capaz de induzir a tumores cerebrais em animais de experimentação …” Ele concluiu seu depoimento , perguntando: “Qual é a razão para a aparente recusa do FDA para chamar para este aditivo alimentar o chamado Delaney Emenda à Alimentos, Medicamentos e Cosméticos? … E se o FDA se optar por violar a lei, que é deixado para proteger a saúde da população? “(16)

Em meados da década de 1970 descobriu-se que o fabricante do aspartame estudos falsificados de diversas maneiras. Uma das técnicas utilizadas era cortar os tumores de animais de teste e colocá-los no estudo. Outra técnica utilizada para falsificar os estudos foi a lista de animais que haviam morrido realmente como sobreviventes do estudo. Assim, os dados sobre os tumores do cérebro é provavelmente pior do que discutimos acima. Além disso, um ex-funcionário da fabricante de aspartame disse a FDA em 13 de julho de 1977 que as partículas de DKP eram tão grandes que os ratos poderiam discriminar entre os DKP e sua dieta normal (12).

  • Diabetes

A American Diabetes Association (ADA) é realmente recomendando este veneno químico às pessoas com diabetes, mas, segundo a pesquisa realizada por um especialista em diabetes, aspartame: 1) leva à precipitação de diabetes clínico. 2) As causas mais pobres controlo da diabetes em ratos diabéticos de insulina ou medicamentos orais. 3) conduz ao agravamento das complicações como a retinopatia diabética, catarata, neuropatia e gastroparesia. 4) Causa convulsões.

Em uma declaração sobre o uso de produtos contendo aspartame por pessoas com diabetes e hipoglicemia, os investigadores diz:

“Infelizmente, muitos pacientes em minha prática, e outras observadas na consulta, desenvolveu sérios neurológicos, metabólicos e outras complicações que poderiam ser atribuídas à utilização de produtos contendo ASPARTAME. Isso foi evidenciado pela perda de controlo da diabetes, a intensificação da hipoglicemia, a ocorrência de “reações à insulina” presumida (incluindo convulsões), que se mostrou reações aspartame, ea precipitação agravamento, ou simulação de complicações diabéticas (especialmente a visão prejudicada e neuropatia) ao usar esses produtos … A melhoria dramática de tais características depois de evitar o aspartame, e previsível o retorno imediato desses problemas quando o paciente retomou produtos com aspartame, consciente ou inadvertidamente. ”

Outro pesquisador afirmou que excitotoxins tais como aqueles encontrados no aspartame pode precipitar o diabetes em pessoas que são geneticamente suscetíveis à doença (5).

  • Transtornos emocionais

Em um estudo duplo-cego dos efeitos do aspartame em pessoas com transtornos de humor, os resultados mostraram um grande aumento de sintomas graves de pessoas que o aspartame. Como alguns dos sintomas eram tão graves, o Conselho de Revisão Institucional teve que parar o estudo. Três dos participantes disseram que eles haviam sido “envenenado” por aspartame. Os pesquisadores concluíram que “os indivíduos com transtornos do humor são particularmente sensíveis a este adoçante artificial, a sua utilização nesta população deve ser desencorajada.” (18) Um pesquisador afirmou sobre o aspartame, “Eu sei que provoca convulsões Estou também convencido de que ele definitivamente. provoca mudanças comportamentais. Estou com muita raiva que esta substância está no mercado. Eu, pessoalmente, a questão de confiabilidade e validade dos estudos financiados pela Companhia NutraSweet. “(19)

Além disso, existem inúmeros casos de níveis baixos de serotonina, depressão e outros transtornos emocionais que foram ligados ao aspartame e muitas vezes são aliviados por parar o consumo de aspartame.

  • Epilepsia / convulsões

Com a grande e crescente número de apreensões causadas pelo aspartame, é triste ver que a Epilepsy Foundation está promovendo o “segurança” do aspartame. No Massachusetts Institute of Technology, 80 pessoas que haviam sofrido ataques após a ingestão de aspartame foram pesquisados. Comunidade Nutrition Institute concluiu o seguinte sobre a pesquisa:

“Estes 80 casos atendem à definição da própria FDA de risco iminente à saúde pública, que exige a FDA a retirada imediata do produto do mercado.”

Tanto a revista da Força Aérea, Vôo, Segurança e revista da Marinha, Marinha Fisiologia, artigos publicados alerta sobre os muitos perigos do aspartame, incluindo os efeitos cumulativos delirar de metanol e maior a probabilidade de defeitos congênitos. Os artigos, note que a ingestão de aspartame pode tornar os pilotos mais suscetíveis a ataques e vertigem. Vinte artigos lançando alertas sobre a ingestão de aspartame durante o vôo também apareceu no National Business Aircraft Association Digest (NBAA Digest 1993), Boletim Médico da Aviação (1988), O Consumidor de Aviação (1988), o general canadense Aviation News (1990), Pacífico Flyer ( 1988), a General Aviation News (1989), a Segurança da Aviação Digest (1989) e Plano & Piloto (1990) e um aviso de papel sobre o aspartame foi apresentado na 57 ª Reunião Anual da Associação de Medicina Aeroespacial (Gaffney, 1986).

A linha foi mesmo criada para pilotos que sofrem de reações agudas ao aspartame ingestão. Mais de 600 pilotos relataram sintomas, incluindo alguns que relataram sofrer convulsões na cabine devido à aspartame (21).

Por que não ouvimos falar sobre essas coisas?

A razão pela qual muitas pessoas não ouvem as reações sobre o grave para o aspartame é dupla: 1) Falta de conscientização da população em geral. Aspartame doenças causadas não são relatados nos jornais como acidentes de avião. Isso ocorre porque esses incidentes ocorrem um de cada vez em milhares de locais diferentes em todo os Estados Unidos. 2) A maioria das pessoas não associam os sintomas com o uso a longo prazo do aspartame. Para as pessoas que mataram uma percentagem significativa de suas células cerebrais e, consequentemente, causou uma doença crônica, não há nenhuma maneira que eles normalmente associamos tal doença com o consumo de aspartame.

Como o aspartame foi aprovado é uma lição de como as empresas químicas e farmacêuticas podem manipular agências governamentais, como o FDA, “subornar” organizações como a American Dietetic Association, e inundar a comunidade científica com falho e fraudulento estudos patrocinados pela indústria financiada pelos fabricantes do aspartame.

Erik Millstone, pesquisador da Unidade de Investigação em Ciência Política da Universidade de Sussex reuniu milhares de páginas de provas, alguns dos quais foram obtidos utilizando a lei de liberdade de informação 23, mostrando: 1. Os exames laboratoriais foram falsificados e os perigos estavam escondidos. 2. Os tumores foram retirados e os animais que haviam morrido “de volta à vida” nos registros de laboratório. 3. Falsas e enganosas declarações foram feitas à FDA. 4. Os dois Procuradores dos EUA, dada a tarefa de trazer acusações de fraude contra o fabricante do aspartame tomaram posições com a empresa fabricante do direito, deixando o prazo prescricional esgotou. 5. O Comissário da FDA anuladas as acusações do próprio conselho da FDA científico de pesquisa. Logo após essa decisão, ele tomou uma posição com a Burson-Marsteller, a empresa responsável de relações públicas da GD Searle.

A Comissão Pública de Inquérito (PBOI) foi realizado em 1980. Havia três cientistas que analisou as acusações de Olney e Turner para a aprovação do aspartame. Eles votaram unanimemente contra a aprovação do aspartame. O comissário da FDA, o Dr. Arthur Hull Hayes, Jr., então, criado a 5 pessoa Comissão Científica para examinar as conclusões PBOI. Depois ficou claro que a Comissão apoiaria a decisão da PBOI por um voto de 3-2, outra pessoa foi adicionado à Comissão, a criação de uma votação num impasse. Isto permitiu que o comissário do FDA para quebrar o impasse e aprovar o aspartame, para produtos secos, em 1981. Dr Jacqueline Verrett, o cientista sênior em uma equipe de revisão do FDA Mesa de Alimentos criado em agosto de 1977 para analisar o relatório Bressler (um relatório que os abusos detalhada GD Searle durante os testes de pré-aprovação) disse: “Era bastante óbvio que em algum lugar ao longo do linha, os funcionários estavam trabalhando gabinete até um cal. ” Em 1987, Verrett testemunhou perante o Senado dos EUA afirmando que os experimentos conduzidos por Searle foram um “desastre”. Ela afirmou que sua equipe foi instruído a não comentar nem se preocupar com a validade geral dos estudos. Ela afirmou que questões sobre defeitos de nascimento não foram respondidas. Ela continuou o seu testemunho, discutindo o fato de que DKP foi mostrado para aumentar pólipos uterinos e mudanças de colesterol no sangue e que o aumento da temperatura do produto leva a um aumento na produção de DKP (13).

Revolving Doors

O FDA e os fabricantes de aspartame ter uma porta giratória de emprego por muitos anos. Além disso, o Comissário da FDA e dois Procuradores dos EUA deixando para tomar posições com empresas ligadas GD Searle, quatro outros funcionários ligados à FDA a aprovação do aspartame tomaram posições relacionadas ao setor de NutraSweet entre 1979 e 1982, incluindo o Vice-Comissário da FDA, a Comissão Especial Assistente do comissário da FDA, o diretor adjunto do Departamento de Alimentos e Toxicologia e da Procuradoria envolvido com a Câmara Pública de Inquérito (24).

É importante perceber que este tipo de atividade revolving-door vem acontecendo há décadas. A Carta de Townsend para Médicos (11/92) divulgou um estudo revelando que 37 dos 49 altos funcionários da FDA, que deixou o FDA tomou posições com as empresas que tinham regulamentado. Eles também relataram que mais de 150 funcionários da FDA possuíam ações de empresas de medicamentos que foram designados para gerir. Muitas organizações e universidades recebem grandes somas de dinheiro de empresas ligadas à Associação NutraSweet, um grupo de sociedades que promovem o uso do aspartame. Em janeiro de 1993, a Associação Dietética Americana recebeu uma doação de 75.000 dólares EUA a NutraSweet Company. A American Dietetic Association, declarou que a NutraSweet Company escreve os “factos” folhas (25).

Qual é o FDA está fazendo para proteger o consumidor contra os perigos do aspartame?

Menos do que nada.

Em 1992, o FDA aprovou o aspartame para uso em bebidas de malte, cereais matinais, e pudins de refrigeração e recheios. Em 1993, a FDA aprovou o aspartame para uso em balas e refrigerantes, bebidas não-alcoólicas favorecidas, bebidas de chá, sucos e concentrados, assados ​​e cozimento misturas e coberturas, coberturas e recheios para produtos de panificação.

Em 1991, o FDA proibiu a importação de estévia. O pó da folha tem sido usada por centenas de anos como um adoçante alternativo. Ele é amplamente usado no Japão, sem efeitos adversos. Os cientistas envolvidos na revisão de estévia ter declarado que ele seja seguro para consumo humano – algo que foi bem conhecido em muitas partes do mundo onde não é proibido. Algumas pessoas acreditam que a estévia foi proibido de manter o produto a partir pegando nos Estados Unidos e cortando em vendas de aspartame (26).

Qual é o Congresso dos EUA está fazendo para proteger o consumidor contra os perigos do aspartame?

Nada.

Qual é a administração dos EUA (o presidente) está fazendo para proteger o consumidor contra os perigos do aspartame?

Nada.

o consumo de aspartame não é apenas um problema nos Estados Unidos – ele está sendo vendido em mais de 70 países de todo o mundo.

Artigo relacionados: Aspartame: O que você não sabe pode feri-lo


11/05/2011 Posted by | Alimentação, Informação | , | Deixe um comentário